Pular para o conteúdo

Introdução às cores e formatos dos bettas

Você deve estar interessado em saber quais são as cores existentes nos bettas hoje. Olhando a imagem acima, percebemos que cada foto tem um betta diferente.

O que você aprenderá neste artigo:

 

As cores nos bettas

Quantas cores existem? Podemos dizer que são infinitas! Isto porque cada betta tem sua característica própria, embora peixes de mesma ninhada têm a possibilidade de replicar a beleza estética de seus pais – os bettas de linhagem!

Na década de 1960, o americano Dr. Gene Lucas, PhD em Filosofia, dedicou sua tese ao estudo da genética do betta. Foi pioneiro neste tema. Veja sua tese aqui: http://data.bettaproject.com/Dr-Gene-Lucas-Dissertation.pdf

Ao longo destes mais de 60 anos, muita coisa do que se pensava conhecer da genética do betta tomou novos rumos. Novas linhagens foram desenvolvidas, novos formatos nos bettas surgiram, e assim por diante.

Talvez você esteja pensando: “ah, as cores devem seguir o padrão da roda de cores..”

Veja o framework abaixo.

Roda das cores: um framework que não é aplicável aos bettas

 

De acordo com este princípio, cruzando-se um betta roxo com um betta verde teremos na ninhada bettas azuis. E, cruzando-se um betta roxo com um vermelho, teremos bettas vermelho-arroxeados.

Saiba que elas não seguem a roda de cores tradicionalmente conhecida para outras finalidades. É mais complexo que isto, pois temos genes responsáveis pelas cores, distribuição de cores e outros que são responsáveis pelos formatos.

 

Conceitos básicos sobre o processo de formação de cores nos bettas

Bettas possuem elementos bioquímicos que definem suas cores, chamados cromatóforos. Cromatóforos são moléculas divididas em duas categorias: iridóforos e pigmentos.

Vamos a uma analogia lúdica. Imagine potes de tinta como mostrado na imagem abaixo.

 

 

 

 

 

 

 

No primeiro pote, temos os brilhos dos bettas: os iridóforos (azul, verde e acobreado). Ainda, teremos um pote com tinta preta e outros com as cores vermelho ou outras, como mostrado na imagem. As cores preto e demais, à direita na imagem, são pigmentos.

A sobreposição destas tintas obedece a seguinte ordem:

  • Brilho: é a tinta acima de todas. Pode ou não existir visualmente. São os brilhos azul, verde ou acobreado, como citado.
  • Tinta preta: é a segunda camada, sob os brilhos, influenciando se o brilho será mais escuro ou claro.
  • Demais tintas: estão abaixo da tinta preta, podendo ou não existir e influenciando a cor resultante no betta, podendo ser vermelho, amarelo, rosado e outras. Elas atuam em conjunto com o brilho (os iridóforos) na cor final do betta.

 

Genes atuam resultando na configuração dos cromatóforos

Obviamente não temos tinta nas escamas dos bettas, e sim genes que atuam em conjunto resultando nas características do betta (sua beleza estética, caracterizada cor cores, distribuição de cores e formatos – o fenótipo).

Veja as fotos abaixo.

Betta Orange Betta Black Devil Betta Milky (ou leite)
Betta Chocolate Betta Vermelho Sólido Betta Black Copper
Betta Teal Blue Betta Red Dragon

Perceba que cada betta tem uma, duas ou mais cores. Entre bettas diferentes com mesma cor, há muitas vezes tonalidades diferentes entre eles.

A tonalidade consiste se a cor é mais clara ou escura. Lembra da cor preta? É ela que dá este efeito, com maior ou menor quantidade de melanóforos. Da mesma maneira, as demais cores atuam em conjunto com os brilhos.

O modelo teórico de camadas de cores nos bettas

O modelo teórico de cor nos bettas obedece ao mesmo esquema de nosso exemplo. Ele é necessário para que entendamos a genética que existe por trás destas cores e distribuição de cores.

Este modelo teórico é apenas uma percepção, auxiliando a quem quiser entender a genética do betta para a identificação dos possíveis genes envolvidos.

Há, portanto, 4 camadas de cor:

  • Camada 1: cores iridescentes – cores azuis, verde e acobreado.
  • Camada 2: cor preta – os melânicos. Se é escuro ou claro.
  • Camadas 3 e 4: cores vermelhas e cores não-vermelhas – rosado, amarelo e outros;

Lembre-se que este modelo é teórico, que apenas auxilia na identificação dos possíveis genes que estão atuando.

Conheça algumas das cores de cada camada:

Camada Cor Foto
1 Royal blue

(azul royal)

Steel blue

(azul aço)

Turquoise

(verde turquesa)

Intense Green

(verde intenso)

2 Melano
3 Vermelho cereja
4 Intense Yellow

(amarelo intenso)

Considere apenas as nadadeiras como referência

E tantas outras.

Veja que vimos a infinidade de cores possíveis nos bettas, o processo de formação de cores, uma introdução à genética por trás destas cores e exemplos de fenótipos (a característica visual como enfoque) e fotos de bettas.

Você certamente deve ter percebido que abaixo de algumas fotos do último conjunto há letras. Mas o que são essas letras?

O que é fenótipo e genótipo

Fenótipo está relacionado com as características morfológicas, fisiológicas e comportamentais dos indivíduos. O fenótipo determina a aparência do indivíduo (em sua maioria, aspectos visíveis), resultante da interação do meio e de seu conjunto de genes (genótipo). Nosso foco são as cores e a distribuição de cores nos bettas, lembra?

Com relação às cores e a distribuição de cores, temos mais de 30 fenótipos neste magnífico peixe.

Por sua vez, as letras associadas a cada fenótipo correspondem ao genótipo. Veja só o exemplo abaixo:

Betta Azul Royal

Temos o genótipo “Bl bl nm nm” para o betta acima. Veja este artigo que apresenta a genética dos bettas azuis (camada 1). É interessante que você o conheça.

O genótipo “Bl bl” se refere à cor azul (blau em Alemão). Foi assim convencionada sua codificação.

O genótipo “nm nm” se refere ao traço não-metálico, que é originado do cruzamento entre outras variedades de bettas, aumentando a gama de cores iridescentes (de 3 para 9). No artigo citado você as conhecerá!

 

Alguns números quanto a fenótipos e genótipos nos bettas

Atualmente temos dezenas de fenótipos compõem a genética do betta quanto a cores, distribuição de cores e formatos. Temos identificados mais de 100 genótipos, dando origem a mais de 60 traços genéticos no betta. São representativos para quem não os conhece, porém pense no arsenal de ferramentas que você tem para determinar quais deles ocorrerão nas suas ninhadas.

Ou seja, é um significativo conjunto de ferramentas que nos permite prever quais características estéticas o bettas haverá na ninhada. Além disso, com este conhecimento você poderá projetar bettas!

Projetar bettas consiste em determinar um objetivo (um betta que você viu e gostou, ou desenvolver uma nova linhagem), identificar seus traços e genótipos para obtê-lo, iniciar a busca de matrizes, confirmando suas características genéticas para, então, direcionar a criação ao objetivo almejado.

 

A seleção de matrizes como trunfo para a obtenção de bettas com Genética Superior

Todo este conjunto de informações é importante para a correta seleção de matrizes, ou seja, os bettas que você selecionará para reproduzir e gerar descendentes.

Considere que o trabalho, empenho, custos e tempo são os mesmos entre bettas, independentemente de suas cores, distribuição e formatos.

Como você possivelmente é um criador de bettas, não seria muito mais interessante projetar bettas? Lembre-se que isto é resultado, na prática, do processo de seleção das matrizes.

Uma vez que você dominou o manejo, reproduzir bettas cujos descendentes não condizem com suas expectativas é frustrante. Sabemos disso!

E é por isso que criamos este site, curso e artigos.

A correta seleção de matrizes é imprescindível para você caminhar no rumo de sua expectativa e objetivo. Veja o artigo que fizemos sobre a criação seletiva aplicada ao peixe betta.

Lançar-se à sorte na seleção de matrizes resulta em nada, ou próximo disso!

Conheça também nosso artigo que traz informações sobre o que são bettas de linhagem. Certamente ajudará você nesta jornada!

 

Quer aprender mais sobre a genética do betta?

Conheça nosso Curso sobre a Genética do Betta, um material que consolida tudo o que se pensa saber sobre sua aplicação prática para seleção de matrizes, e traz novas modelagens genéticas.

Gostou do artigo? Indique para seus amigos!

Desejamos sucesso com seus bettas.

 

Referências:

[1] Arquivo interno Betta Project

[2] Imagens da Internet

(c) 2014 - 2022 Betta Project - A DNA Experience. All rights reserved